Mate seu celular

Tradução do post original de Mehret Biruk publicado em https://mehretbiruk.com/2022/02/21/kill-your-phone/

O smartphone é uma das maiores invenções do nosso tempo. Com ele, você pode acessar a internet 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, possibilitando que você se conecte com pessoas do mundo todo, obtenha direções para qualquer lugar e acesse uma vasta quantidade de opções de entretenimento – tudo isso na palma da mão.

Infelizmente, o smartphone também pode ser uma ferramenta de distração interminável, ilimitada, inesgotável.

economia da atenção é mantida funcionando graças a uma tecnologia que é projetada para ser viciante. Numa economia assim, nossa atenção é a moeda mais valorixde maior valor. Existe maneira melhor de capturar nossa atenção do que nos manter viciados em nossas telas? Só a publicidade em aplicativos arrecada cerca de US$ 200 bilhões. Se você conseguirque as pessoas chequem o celular 58 vezes por dia, bem, é mais grana, maisgrana, mais grana.

Boa notícia: ainda é possível lutar contra a economia da atenção.

Mate seu celular

Em Feck Perfuction: Dangerous Ideas on the Business of Life, James Victore escreve no Capítulo 4: Mate seu celular. O argumento de Victore é que, por fazer isso, criamos espaço em nossas vidas para a solidão e pensamentos profundos. Quando removemos as distrações digitais, criamos tempo, energia e espaço para as coisas que valorizamos: passar tempo com as pessoas que amamos, trabalhar em nossos hobbies e produzir trabalho de melhor qualidade.

A arte requer concentração, a excelência leva tempo. Para trabalhar de modo sério, devemos estar conscientes do tempo que gastamos com nós mesmos versus o tempo que gastamos com telas.

       – James Victore

Ao longo dos anos, experimentei diferentes abordagens para combater meu vício em smartphones. Acho que a melhor abordagem é matar o smartphone. O que os olhos não veem, o coração não sente.

Todos nós podemos nos beneficiar de matar nossos celulares, resgatando assim nosso tempo e atenção, e os usando em buscas de maior valor. O significado de matar o celular varia muito de pessoa para pessoa. Pode ser algo simples, como desativar notificaçõese excluir aplicativos de mídia social do seu celular, ou abordagens mais radicais como mudar para um celular de flip ou simplesmente não ter um celular.

Abaixo estão três das minhas abordagens favoritas para matar o celular.

 

1. Reduza ou remova seu plano de dados móveis.

O que torna os celulares tão viciantes é a internet. Remover os dados móveis do meu plano foi uma das primeiras abordagens que tentei para reduzir o tempo gasto no celular. Durante dois anos, consegui viver sem dados móveis no meu telefone. Tirei capturas de tela de direções de GPS, baixei músicas, e-books e podcasts para usar off-line. Aprendi a conversar com estranhos quando me perdia, ou esquecia de baixar um e-book e ficava entediado.

Mais recentemente, tive que me contentar com um plano de dados de 0,5 GB/dia. Eu o usei principalmente para navegação GPS e iMessage, pois logo descobri que o streaming requer toneladas de dados. Tive que baixar conteúdo de entretenimento para acessá-lo offline depois. Reduzir o plano de dados é uma boa opção se você precisa de dados para coisas como GPSe  e-mail mas ainda quer reduzir ao mínimo o tempo que gasta no celular.

Essa abordagem funciona muito bem porque, uma vez que você remove ou reduz seu plano de dados, é mais difícil voltar a ele por impulso. Há também o incentivo financeiro... Oh, como sinto falta da minha conta de telefone barata.

 

2. Transforme seu smartphone em um dumbphone.

Muitas vezes me imagino mudando para um celular de flip, mas também gosto do meu smartphone.  É bom ter acesso a uma ferramenta incrível que facilita a vida e fornece toneladas de informação e entretenimento. Mas meu celular também é uma fonte de distração, procrastinação e preguiça. Passei inúmeras horas navegando sem pensar no meu celular, perdendo tempo que poderia ter gasto fazendo coisas objetivamente melhores.

Tive que tomar uma atitude: transformei meu iPhone em um dumbphone.

Na versão dumbphone, meu celular praticamente não serve para entretenimento fútil. Como consequência, eu me vejo constantemente fazendo coisas, até mesmo pequenas coisas que normalmente deixaria de lado por estar distraído online. Eu lido por mais tempo com o desconforto de fazer coisas como ler, ir à academia ou lavar a louça. A alternativa é não se perder mais no vazio do entretenimento digital ilimitado.

Com o tempo, a necessidade de recorrer ao entretenimento digital para escapar do tédio tornou-se menos e menos premente. Como meu celular não é capaz de me entreter por horas, acabo achando outra coisa para fazer.

 

3. Mude para um celular de flip.

Se estiver disposto, mudar para um celular de flip é o melhor upgrade, e a melhor forma de dar um tempo nesse mundo movido a cafeína digital.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Edward Hopper: O Pintor da Alienação

‘Cabelo quântico’ pode resolver paradoxo dos buracos negros de Hawking, dizem cientistas